Mulheres discutem sobre engenharia em Moçambique

INTEGRITY-MOÇAMBIQUE, 24 de junho de 2024-Electricidade de Moçambique (EDM) junta 100 mulheres dentre engenheiras e aspirantes a engenharia em feira da mulher na engenharia.

Segundo a administradora do pelouro de recursos humanos naquela empresa moçambicana de distribuição de energia eléctrica, a ideia é consciencializar a mulher a aderir ao ramo de engenharia, um sector que tradicionalmente é de preferência dos homens.

Para Yolanda Cintura Seuane, a título de exemplo na sua empresa só no sector de engenharia tem 40 mulheres contra 200 do sexo masculino, um desafio que o plano estratégico da EDM deve contornar até 2030.

“Queremos que até no ano 2030 a EDM absorva 40% de mão-de-obra feminina e já estamos a trabalhar neste sentido, provendo bolsas de estudos de curta e longa duração para as raparigas que se identificam com o ramo de engenharia”, explicou Seuane.

Ainda que de forma tímida nota-se uma presença da mulher a se formar, em vários sectores ligados a engenharia quer nos centros urbanos quer nas áreas suburnas e a EDM tem colocado a mão na capacitação da rapariga.

“Aos poucos as mulheres estão a se interessar em ramos ligados com a engenheira, mas é um desafio que a EDM está a enfrentar, entretanto, os sinais são bons porque as mulheres já estão a tirar das cabeças os fantasmas de que a engenharia não tem haver com a mulher”, confessou Yolanda Cintura Seuane.

A feira de mulher na engenharia teve lugar na cidade de Chimoio e foi caracterizada por exposições e palestras sobre saúde sexual e reprodutiva.

A feira da mulher na engenharia está inserida no dia mundial da engenheira que se assinala a 23 de junho de cada ano. (Pedro Tawanda, em Manica)

Exit mobile version