Gás da Área 4 do Rovuma: Moçambique espera decisão rápida da ExxonMobil

Moçambique está em constante contacto com a petrolífera norte-americana ExxonMobil com vista a flexibilizar a tomada de decisão final de investimento do projecto de gás natural na Área 4 da Bacia do Rovuma.

A tomada desta decisão vem sendo, constantemente, adiada pelo potencial investidor, mas os contactos com as autoridades moçambicanas continuam a correr, havendo expectativa para um final satisfatório no mais curto espaço de tempo.

O Presidente do Conselho de Administração do Instituto Nacional de Petróleos (INP), Nazário Bangalane, avançou, recentemente, em conferência de imprensa, que o País continua a contar com o projecto.

“É do vosso conhecimento que a Área 1 activou a cláusula de Força Maior, e estamos a trabalhar com todos os actores da Área 1 e da Área 4 para que a actividades se iniciem o mais rápido possível. Tem havido reuniões regulares e naturais entre o regulador e as concessionárias e no momento oportuno iremos dar os passos seguintes”, explicou.

Este pronunciamento surge depois de há dois meses o responsável da ExxonMobil, Walter Kansteiner, ter garantido que a empresa continua a analisar cuidadosamente as datas para a tomada de decisão final de investimento, num encontro que manteve com o Presidente da República, Filipe Nyusi.

No mesmo sentido, a petrolífera elogiou a melhoria da segurança no Norte do País, cuja fragilidade foi a causa do accionamento da cláusula de Força Maior pela TotalEnergies, em 2021, outro players no negócio do gás do Rovuma.

O projecto da ExxonMobil prevê produzir 18 milhões de toneladas de gás natural liquefeito por ano.

Acredita-se que o empreendimento venha a impulsionar a industrialização do País. Desta feita, Moçambique tornar-se-ia num dos principais exportadores mundiais de gás natural liquefeito.

O Projecto tem duas componentes, sendo a primeira a exploração offshore (mar) e a segunda, de processamento, será desencadeada onshore (terra), num investimento de 46 mil milhões de dólares, o maior em África. (Jornal Notícias)

Exit mobile version