Incidências do conclave da RENAMO (4): Da contestação da juventude à pancadaria “entre Perdizes”

Mesmo com a autorização judicial do Tribunal distrital de Alto-Molócuè, Venâncio Mondlane não teve acesso ao recinto do Congresso da Renamo. Venâncio Mondlane alega que o Tribunal deu uma instrução à Polícia para que fizesse valer a decisão do Tribunal e colocasse Venâncio Mondlane no interior da sala do Congresso, mas tal não aconteceu.

Daí que, segundo o advogado de Venâncio Mondlane, Elvino Dias, há elementos para anular o Congresso da Renamo e punir, tanto o partido como a Polícia por não terem acatado a decisão do Tribunal.

Diante deste cenário, Venâncio Mondlane não descarta a possibilidade de abandonar a Renamo, em função do que a sua base de apoio o indicar, mas para já, decidiu avançar com uma marcha em Alto Molócuè, em repúdio à forma como está a ser gerido Congresso do Partido.

O último dia do congresso da RENAMO, que decorre no distrito de Alto Molócuè, está a ser marcado por cenas de agressões físicas e uso excessivo da força.

O presidente do Município de Quelimane e membro do partido RENAMO, Manuel de Araújo, questionou o cenário de violência ao comandante da polícia presente no local, que prontamente respondeu às suas questões.

Araújo afirmou que a retirada dos membros do congresso viola a democracia interna do partido.

A entrada de Manuel de Araújo na primeira barreira de proteção feita pela polícia da República de Moçambique foi inicialmente hostil, mas acabou por ser desbloqueada pelo comandante.

No entanto, na barreira feita pelos homens da RENAMO, o ajudante de campo de Manuel de Araújo foi barrado e escorraçado pela segurança do partido, deixando Manuel de Araújo entrar no congresso sozinho.

O ambiente continua tenso do lado de fora, com os jornalistas impedidos de entrar no recinto onde decorre o congresso.

O Presidente do Município de Quelimane, Manuel Araújo, apareceu hoje pela primeira-vez no local do Congresso da Renamo.

Em entrevista à Miramar, Manuel de Araújo disse estar desapontado com os últimos acontecimentos no partido Renamo.

Inicialmente, o cordão policial não estava a permitir a entrada de Manuel de Araújo, mas depois da sua entrada ser permitida, os seguranças do Edil de Quelimane acabaram agredidos pela segurança da Renamo.

Curiosamente, Manuel de Araújo não está trajado com a sua habitual camisa azul de riscas brancas, mas sim com uma camisete vermelha com o logo da bandeira nacional.

Com os ânimos exaltados por parte de alguns simpatizantes da Renamo, um forte contingente policial formou um cordão de segurança.

Este exercício visa essencialmente garantir que a ordem não se altere em Alto-Molócuè.

Do lado de fora, aguarda-se a qualquer instante alguma novidade sobre o processo de votação para a eleição do presidente da Renamo. (INTEGRITY/TV MIRAMAR)

Exit mobile version