Incidências do conclave da RENAMO (1): “Do tiro judicial de Venâncio Mondlane” ao “incansável escovismo dos delegados” em volta de Ossufo Momade

INTEGRITY-MOÇAMBIQUE, 15 de maio de 2024-Arrancou nesta quarta-feira (15.05) o sétimo congresso da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) que decorre em Alto Molócuè, na província central da Zambézia, mas o evento teve que esperar por mais de três horas, devido à uma providencia cautelar submetida por Venâncio Mondlane no Tribunal Judicial do Distrito de Alto Molócuè.

O congresso da Perdiz conta com a participação de 1000 delegados, dos quais 700 têm direito a participar na votação do sucessor ou pela continuidade do actual líder da RENAMO, Ossufo Momade. Os restantes 300 membros são convidados, segundo o porta-voz do maior partido da oposição moçambicana, José Manteigas.

No Congresso da RENAMO, actualmente em andamento no distrito de Alto-Molócuè, na cidade da Zambézia, a maioria dos delegados das províncias manifestou interesse em apoiar o general Ossufo Momade. Os delegados o felicitam interminavelmente por sua liderança nos últimos cinco anos, destacando sua abordagem sábia e pacífica à frente do partido, sem envolvimento em violência ou tortura.

Para Mohammed Yassine, deputado da Assembleia da República e membro da Renamo, avançou que nada impedia que Venâncio Mondlane fosse convidado para assistir o evento, mas sem direito a voto.

Segundo explicou Yassine, a eleição para congressista tem alguns preceitos e caso um deles falhe não tem como ser congressista, mas não há um empecilho para que o colega que levou a Renamo a barra dos tribunais fizesse parte do congresso como convidado.

Yassine acrescentou que seria de “bom tom” que Venâncio Mondlane fosse convidado para o congresso, no entanto, não se sabia se ele aceitaria participar em tais condições. “Este é um evento que deveria dar alegria a todos membros da Renamo, por isso, qualquer falha que possa ser cometida deve ser perdoada”, Yassine.

Em Reacção aos contornos, em jeito de informação de última-hora, o Advogado Elvino Dias que representa Venâncio Mondlane, escreveu o seguinte na sua página do Facebook, “na sequência do impedimento ao Eng° Venâncio Mondlane de participar o Congresso, não obstante ter sido eleito com 96% de votos ao nível do Distrito Urbano Kamubukwana e 100% ao nível das conferências provinciais, agravado com os pronunciamentos do Dr. Manteigas contrários aos Estatutos e aos normativos que Regulam a eleição dos Delegados e do Presidente do Partido , intentamos ontem, 14 de Maio de 2024, uma Providência Cautelar não Especificada que tinha por finalidade a sanação dos vícios que determinaram a exclusão do Eng° e a consequentemente a sua entrada no Congresso.”

Elvino disse: “felizmente, o Tribunal acolheu a nossa pretensão e a julgou procedente. Tal como prometi, VM estará sim no Congresso como congressista porque foi eleito. Cai por terra tudo o que o Dr. Manteigas disse ontem na TV.”

Tendo na ocasião escrito, “agradeço ao Tribunal de Molócuè e ao respectivo Juiz pela clareza do Despacho e, mas acima de tudo, pela celeridade. Agora damos por cumprida a missão, cabendo aos congressistas a melhor decisão.”

Já para o Presidente do Município de Alto Molócuè, Otílio Eduardo, afirmou, de viva voz, que todos zambezianos apoiam incondicionalmente a recondução de Ossufo Momade à presidência do partido, assim como a sua candidatura à presidência da República, nas eleições gerais do próximo 9 de outubro.

“Reconhecemos a sua seriedade e capacidade aglutinadora, ao longo do seu mandato.  Apesar das adversidades e tentativas de desestabilizar a Renamo e violentar o seu caráter e personalidade, ele conseguiu controlar até aqui”, disse Otílio.

Otílio não poupou nos elogios e foi mais além, personificando Ossufo Momade com o Moisés, da bíblia sagrada, tido como o mais paciente do mundo.

“Foi um homem muito diferente dos outros homens. Deus lhe deu um estômago para engolir todos sapos e até manter-se calado”, concluiu o Edil.

Já para o Presidente da Liga da Juventude do partido Renamo, Ivan Mazanga, apelou para que os congressistas agissem com maturidade durante o congresso. O jovem explicou que é “difícil realizar congressos em ano eleitoral”, por diferentes razões, mas é necessário que o processo seja conduzido da melhor forma.

Mazanga olhou para o partido como um todo, mas também destacou os avanços feitos em relação à participação dos jovens dentro da Renamo. Ivan explicou que os jovens serão as testemunhas do trabalho do partido, por isso, Ivan Mazanga acredita ser importante que se abra espaço para que os jovens participem de forma mais efectiva, pois “o sistema sugou todas as forças e sonhos da juventude”. (IMN)

 

Exit mobile version