Antiga chefe de gabinete do Presidente do Madagáscar condenada a três anos e meio de prisão por ter solicitado suborno à Gemfields

A antiga chefe de gabinete de Andry Rajoelina, Presidente do Madagáscar, foi condenado a três anos e meio de prisão por um tribunal de Londres, na sexta-feira, 10 de maio de 2024, por ter solicitado suborno à Gemfields, proprietária a 75% da Montepuez Ruby Mining Ltd.

A antiga chefe de gabinete Romy Andrianarisoa (47 anos) e o seu cúmplice francês Philippe Tabuteau (54 anos) pretendiam obter cerca de MZN 19 milhões (USD 300 000) por transferência bancária e 5% de qualquer operação mineira da Gemfields em Madagáscar, em troca de assistência à Gemfields na criação de uma empresa comum de pedras preciosas no país. Tabuteau, que se tinha declarado culpado antes do processo em tribunal, foi condenado a dois anos e três meses de prisão.

 A Gemfields comunicou o pedido de suborno à Agência Nacional de Crimes Britânica (NCA) em 2023, na sequência do qual a NCA enviou um agente infiltrado para aprofundar a investigação e levar à detenção de Andrianarisoa e Tabuteau.

A NCA divulgou recentemente 6 extractos de áudio da operação secreta nas suas contas do Instagram e X (ex- Twitter).

Andy Kelly, Director da Unidade de Corrupção Internacional (ICU) da NCA, afirmou:

“Estamos particularmente gratos à Gemfields não só por ter chamado a nossa atenção para este assunto, mas também por ter continuado a trabalhar connosco ao longo da investigação para chegar a um resultado positivo”.

Thomas Short, procurador especialista em crimes económicos do Ministério Público, afirmou:

“Romy Andrianarisoa é uma funcionária corrupta que optou por enriquecer no exercício das suas funções públicas. Ao denunciar a situação às autoridades, a Gemfields protegeu o seu negócio de indivíduos gananciosos e sem escrúpulos”.

Exit mobile version