Exclusão do “elefante” da agenda da 3ª sessão do CC da Frelimo visa exaltar os “feitos fraudulentos das eleições autárquicas”

INTEGRITY-MOÇAMBIQUE, 05 de abril de 2024-Quando o histórico libertador nacional e membro do partido Frelimo, Óscar Monteiro levantou a preocupação sobre a questão da sucessão do poder na reunião da Associação dos Combatentes da Luta de Libertação Nacional (ACLLN) parte dos participantes da sessão acreditavam que o ponto seria incluído na agenda de trabalho da 3ª sessão do Comité Central da Frelimo, debalde, conforme demonstra o comunicado de imprensa em nossa posse!

Segundo consta no comunicado de imprensa da Comissão Política da Frelimo, “nos termos da alínea d), do número 1 do Artigo 76º dos Estatutos do Partido, convocou a III Sessão Ordinária do Comité Central, a ter lugar nos dias 5 e 6 de abril de 2024, na Escola Central do Partido, na Cidade da Matola. Esta sessão irá se debruçar sobre as seguintes propostas: relatório da Comissão Política; relatório do Comité de Verificação do Comité Central; relatório do Gabinete Central de Preparação das VI Eleições Autárquicas; Proposta do Plano de Actividades e do Orçamento do Partido para o ano de 2024; Proposta de Regulamento dos Estatutos do Partido; Balanço do grau de cumprimento do Plano Económico e Social e Orçamento do Estado de 2023; Informação sobre o Plano Económico e Social e Orçamento do Estado para 2024; e Diversos.”

Entretanto, a exclusão do ponto sobre  a “sucessão do poder” não foi incluído porque conforme apuramos de fontes internas, a ideia é vender “o peixe dos resultados das escandalosas eleições autárquicas que agitaram a sociedade moçambicana em finais do ano passado” que apesar de ter garantido a contestada vitória ao partido Frelimo em 60 autarquias contra cinco para os dois maiores partidos na oposição, a ala do Presidente Nyusi vai usar estes vectores propagandísticos como um instrumento de exaltação da sua liderança contra os seus críticos internos e externos. (INTEGRITY)

Exit mobile version