Moçambique aberto a estudar conversão da dívida em investimento climático

O Governo moçambicano está disponível para negociar a conversão de dívida em mecanismo de financiamento à “transição climática” com Portugal, disse à Lusa fonte do Ministério da Economia e Finanças.

“Estamos recetivos e disponíveis para avaliar com os nossos parceiros a viabilidade e possibilidade de conversão da dívida em mecanismo de financiamento à transição climática”, afirmou a fonte.

A exposição e vulnerabilidade de Moçambique ao impacto das mudanças climáticas aumentam o interesse do país em analisar com os seus parceiros de cooperação esta modalidade de conversão da dívida, acrescentou.

“É uma abordagem que tem sido estudada com diversos parceiros e podemos discutir com Portugal também”, enfatizou.

Em junho deste ano, os governos de Portugal e Cabo Verde assinaram um acordo que permite a conversão de dívida em investimento para acelerar a transição climática e promover as economias verde e azul no país africano.

A dívida de Moçambique a Portugal ronda os 675 milhões de euros. O Estado moçambicano fechou o terceiro trimestre com um ‘stock’ de dívida pública de 971.788 milhões de meticais (14.252 milhões de euros), um aumento de 5,1% face ao final de 2022, segundo dados oficiais.

“Este agravamento foi largamente influenciado pela evolução da dívida interna, num contexto de relativa estabilização da dívida externa”, lê-se no relatório do balanço económico e social da execução do Orçamento do Estado de janeiro a setembro de 2023, a que a Lusa teve acesso.

No documento, o Ministério da Economia e Finanças refere que a dívida externa manteve-se praticamente inalterada até setembro, em 643.491 milhões de meticais (9.434 milhões de euros), enquanto a dívida interna cresceu 16%, face a dezembro, chegando a 328.296 milhões de meticais (4.813 milhões de euros) no final de setembro. (

Exit mobile version