Sudão: 60 crianças morrem num orfanato por falta de comida

Enquanto os combates continuavam no exterior, durante as últimas seis semanas, 60 crianças morreram isoladas e em condições difíceis, num orfanato na capital do Sudão.

A maioria morreu por falta de comida e de febre. 26 morreram em dois dias, durante o fim-de-semana. Esta informação foi revelada através de entrevistas com mais de 12 médicos, voluntários, funcionários do sector da saúde e trabalhadores do orfanato Al-Mayqoma.

 

A agência de notícias britânica Associated Press, citada pelo Notícias ao Minuto, também analisou dezenas de documentos, imagens e vídeos que mostram a deterioração das condições nas instalações.

 

Um vídeo gravado por trabalhadores do orfanato mostra corpos de crianças enrolados em lençóis brancos à espera de serem enterrados. Noutras imagens vê-se crianças, usando apenas fraldas, sentadas no chão de uma sala, muitas delas a chorar, enquanto uma mulher carrega dois jarros de metal com água. Outra mulher está sentada no chão, de costas para a câmara, balançando-se para a frente e para trás, aparentemente embalando uma criança, escreve o Notícias ao Minuto.

 

Uma funcionária do orfanato, citada pela fonte, explicou mais tarde que as crianças foram transferidas para a sala grande depois de um bombardeamento nas proximidades ter afectado a outra parte das instalações, com artilharia pesada, na semana passada.

 

“É uma situação catastrófica. Isto era algo que esperávamos desde o primeiro dia dos combates”, disse Afkar Omar Moustafa, um voluntário do orfanato, numa entrevista telefónica.

 

De acordo com as certidões de óbito, entre os mortos encontram-se bebés com apenas 03 meses.

 

Esta situação gerou alarme e indignação nas redes sociais, e uma instituição de caridade local conseguiu entregar alimentos, medicamentos e leite em pó para bebés ao orfanato no domingo, com a ajuda da agência das Nações Unidas para a infância, UNICEF, e do Comité Internacional da Cruz Vermelha.

 

Os trabalhadores do orfanato alertaram para o facto de poderem morrer mais crianças e apelaram à sua rápida retirada para fora de Cartum, a capital do Sudão, devastada pela guerra. Mais de 13,6 milhões de crianças necessitam urgentemente de assistência humanitária no Sudão.

Exit mobile version